20 de fevereiro de 2017

Resenha | O Herói das Eras

Título: O Herói das Eras (Mistborn: Nascidos da Bruma #3)
Autor: Brandon Sanderson
Ano de publicação: 2016
Editora: Leya
Número de páginas: 688
Compre: Submarino | Saraiva | Amazon
Sinopse: Após subverter a lógica dos livros de fantasia tradicional e arrebatar uma quantidade incrível de admiradores, entre eles George R. R. Martin em pessoa, Brandon Sanderson encerra a trilogia fantástica Mistborn de forma no mínimo surpreendente. Para acabar com o Império Final e restaurar a liberdade, Vin matou Lord Ruler. Mas, em consequência, poderosos terremotos causaram o retorno das trevas, e a humanidade parece estar definitivamente condenada. Resta saber como Vin poderá se livrar da culpa e reverter este cenário. A conclusão da série promete não decepcionar os leitores dos dois primeiros volumes, já que está repleta de revelações e reviravoltas, dignas dos leitores mais exigentes.

Vin libertou Ruína do Poço da Ascensão, e desde então o mundo vai de mal a pior. As chuvas de cinzas estão cada vez mais intensas, as brumas persistem por cada vez mais tempo sob a luz do sol, prejudicando as plantações, e terremotos acontecem com cada vez mais frequência. Enquanto tentam reunir pistas de como derrotar Ruína, Vin, Elend e o que restou da gangue de Kelsier estão decididos a reconquistar as cidades que se separaram do Império Final, como Fadrex e Urteau.

O último volume de Mistborn traz ainda mais revelações e reviravoltas, muitas vezes subvertendo tudo em que os personagens (e o leitor) acreditavam. Ao longo dos capítulos, mistérios começam a ser desvendados, ao mesmo tempo em que novas pistas são apresentadas para despertar (e muito) a curiosidade, como o estranho comportamento das brumas em relação às pessoas que ataca, matando ou deixando doentes. Como cada capítulo termina com um gancho, é impossível largar a leitura, e eu devorei o livro em três dias (considerando o número de páginas, dá para imaginar que nesses três dias eu não fiz praticamente nada além de ler). Porque sempre há outro segredo, e a forma como as pistas e reviravoltas foram colocadas foi muito inteligente. As reviravoltas surpreendem, ao mesmo tempo em que fazem total sentido e as pistas que levam a elas de súbito se tornam bastante claras. Você provavelmente vai pensar “EU NÃO ACREDITO!” em muitos momentos.

A narrativa, em terceira pessoa, se alterna principalmente entre os pontos de vista de Vin, Elend, Sazed, Fantasma e TenSoon, e, como nos outros livros, é uma narrativa ágil e pouco descritiva, mas ainda assim eficiente em me fazer imergir no cenário. A única coisa que me incomodou nela foi a revisão, que deixou um pouco a desejar, e uma frase ou outra que podia ter sido escrita de forma mais objetiva. E há também os parágrafos que antecedem cada capítulo, que neste volume mostram o diário do Herói das Eras (o que me fez considerar várias identidades para esse papel, embora minhas suspeitas fossem ficando cada vez mais fortes lá pelo final). Em certos momentos esses trechos se mostraram tão interessantes quanto a própria narrativa principal.

Fantasma e Sazed ganham bastante destaque neste volume. Mergulhamos a fundo nos desejos e medos de Fantasma, que cresce e ganha destaque até praticamente se tornar uma figura mística; os capítulos dele são uns dos mais interessantes de acompanhar. Enquanto isso, Sazed perdeu a fé, e por esse motivo revira cada religião catalogada em busca de uma que lhe pareça verdadeira. Elend busca se encaixar em seu papel de imperador, tendo que tomar decisões cada vez mais parecidas com as do Senhor Soberano em busca de fazer aquilo que é o melhor para um mundo que parece que vai acabar. Vin é a que está mais confortável em seu papel e é a que menos se desenvolve nesse volume — mas nem por isso se tornou desinteressante ou menos importante, muito pelo contrário. Além disso, nesse volume Vin e Elend deixaram para trás as inseguranças sobre não serem bons o suficiente para o outro, o que, além de ter sido um alívio, deixou a dinâmica do casal bem mais natural. E há, ainda, TenSoon, sob cujo ponto de vista foi apresentada a interessantíssima cultura kandra (além de ele, por si só, ser um excelente personagem).

Ainda sobre os personagens, há o Senhor Soberano. Ao longo dos capítulos, enquanto Elend tenta cuidar do império e pistas são reveladas, os demais personagens pensam um pouco sobre como as ações dele, ainda que tirânicas, pareciam ter uma motivação prática por trás, e aos poucos sua fachada de vilão é desconstruída (algo que achei bem interessante).

O worldbuinding, como sempre, me agradou bastante. Eu sempre achei o cenário de Mistborn interessante por causa das brumas, das chuvas de cinzas, das plantas marrons, entre várias outras peculiaridades (que, neste volume, vemos que foram muito bem pensadas). Mas houve uma expansão do universo, então mais coisas foram reveladas sobre a Alomancia (que é bem mais importante para a resolução da trama que o esperado) e a Hemalurgia, que é o que dá poder aos Inquisidores. E há Ruína, cujos poderes são diferentes, mas ainda assim têm suas próprias possibilidades e limitações.

O final se mantém no mesmo nível que o restante da narrativa: cheio de surpresas, e ainda com muita ação. Eu gostei do toque agridoce, ainda que o final seja mais feliz do que triste. Depois de tanto perigo, seria um tanto inverossímil se não houvesse algumas baixas. Ele amarrou bem tanto o arco deste último volume quanto a série, mas ainda assim conseguiu deixar alguns mistérios e pontas soltas que, acredito, serão tratadas na outra série ambientada nesse universo (infelizmente, ainda não publicada no Brasil). Talvez tenha ficado um tiquinho apressado, mas nada que tenha tirado o brilho dessa que foi a minha leitura favorita de 2016.

Avaliação:

Trama: 5
Narrativa: 4
Personagens: 5
Caracterização: 5
Coerência: 5
Criatividade: 5
Revisão: 3

★ ★ ★ ★ ✭

Outros livros de Brandon Sanderson:
Mistborn - Nascidos da Bruma:

Executores:



Assine a newsletter!
Receba em seu e-mail, mensalmente, novidades para escritores, leitores e blogueiros, conteúdo exclusivo e os últimos posts do SI&F.

ou siga as atualizações do blog nas redes sociais:
Facebook | Twitter | Google + | Instagram | Pinterest

2 comentários :

  1. Não é maravilhoso? :D
    Foi minha leitura favorita de 2016, haha.

    Fernanda - The Bookworm Scientist

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Ótimo! Agora estou esperando que publiquem por aqui a outra trilogia.

      Abraço!

      Excluir

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...