17 de fevereiro de 2016

Resenhando contos #6 | Lidos na 8ª Maratona Literária do MeL

No carnaval, durante o dia 9, aconteceu a oitava edição da maratona literária do Me Livrando. Como sempre, eu participei (e recomendo: é muito difícil encontrar um(a) blogueiro(a) que interaja tanto com os leitores e apoie tanto a literatura nacional quanto a Marcelly), e o tema da vez foi leituras fora da zona de conforto. Eu dificilmente leio algo fora da fantasia (ficção científica, policial e terror também fazem parte das minhas leituras, mas são bem esporádicos, embora isso se dê mais pela quantidade de lançamentos atuais que por falta de vontade), então decidi pegar algo bem fora da minha zona de conforto: romance.


Para quem acompanha o blog, não deve ser novidade que eu adoro promoções gratuitas da Amazon. Foi em algumas dessas promoções que acabei baixando os e-books, alguns por recomendação de blogs que eu seguia, outros por serem de escritoras de quem eu gosto, outros porque a capa era bonita e, já que estava de graça, não custava tentar. Mas eu tenho uns mil e-books, e entre eles e os livros físicos que sempre acabo comprando, os e-books fora da zona de conforto não seriam lidos tão cedo.


Mas, felizmente, surgiu a maratona e esse tema, e eu dei uma chance a eles. Minha meta era ler seis contos e começar um novo livro (não que eu não tenha uns 20 começados) se desse tempo. No fim, acabei enrolando muito, tive algumas ideias para um livro que não é o que eu estou escrevendo atualmente, e no fim só consegui ler 4 e-books (um deles com dois contos). Confiram as resenhas:

Título: Biscoito, girassol e peixe
Autor: Priscilla Matsumoto
Número de páginas: 7
Sinopse: Um rapaz inocente resolve presentear sua paixão platônica com um perfume de girassóis. Porém, por causa de um pequeno erro fatal, o que tinha tudo para ser uma fofa história de amor pode acabar desandando nas mãos do destino.

Apesar de estar fora da minha zona de conforto, gostei bastante do conto. O começo, se alternando entre os pontos de vista do mocinho e da mocinha, nos faz esperar uma história de amor comum, para no final nos surpreender com algo totalmente inesperado, mas que ainda assim se encaixou muito bem com a narrativa leve, que passa a impressão de que há alguém ao nosso lado, contando uma história. Definitivamente, foi um conto bem marcante.



Título: Duas doses de amor
Autor: Karen Alvares e Melissa de Sá
Número de páginas: 20
Sinopse: New York, 1930. Santos, 2014. Uma pista de dança cheia de energia, um orelhão anônimo e orelhudo. O que tudo isso tem em comum? Eles serão testemunhas do começo de dois romances apaixonantes. Fique à vontade e sirva-se dessas Duas Doses de Amor!

Era para ser você, de Melissa de Sá, traz uma escrevi envolvente, e quando vi, já tinha terminado. Não sou muito fã de amor à primeira vista (é algo que costuma me afastar de romances), mas aqui ele se encaixou bem, não pareceu exagerado nem meloso demais. a narrativa em primeira pessoa caiu bem por ajudar o leitor a se conectar com a protagonista e compreender suas escolhas.



O orelhão, de Karen Alvares, é interessante pelo ar urbano e moderno, pela maneira excêntrica como o casal se encontrou e pelo modo casual como conversaram, quase discutiram, debaixo de um elemento tão comum (e ao mesmo tempo tão ignorado) de nosso cotidiano. É leve e marcante, como eu acredito que um conto deve ser.



Título: Harvard
Autor: Gabriella Regina
Número de páginas: 72
Sinopse: Até onde você iria para reconquistar o seu amor? Niels Janowski está sofrendo por sua namorada ter terminado com ele na semana anterior à da data especial para os casais: o dia dos namorados. Seus amigos, como bons amigos que são, resolvem levá-lo a uma festa para pessoas que odeiam o dia dos namorados para que Niels encontre alguém para lhe consolar. Mas, diferente disso, Niels conhece Harvard, uma garota ruiva e inteligente, aparentemente meio louca, que se compromete a tornar Niels um perfeito romântico e ajudá-lo a reconquistar sua ex-namorada. “Harvard” é um conto de apenas onze capítulos que se passam na noite do dia dos namorados, e mostra que, às vezes, algumas loucuras são necessárias para conquistar a pessoa que você ama.

A narrativa é muito boa e, com revisão impecável, me manteve envolvida na história o tempo todo, apesar de ela estar fora da minha zona de conforto. A trama no início não me agradou (me fez esperar as tramas de sempre de colégio americano, aquelas que me fazem ficar feliz por ter nascido no Brasil) e, apesar de ter enveredado por um dos caminhos que eu esperava… Bem, às vezes os fins justificam os meios, mas tem horas em que os meios é que justificam os fins. É bem aquela trama de adolescentes descobrindo o que é amor verdadeiro e de quem realmente gostam, mas gostei muito da protagonista, que é muito diferente de outras do gênero (você não vai encontrar aqui as garotas boazinhas, inexperientes e certinhas que protagonizam outros livros).



Título: Imêmore
Autor: Melissa de Sá
Número de páginas: 8
Sinopse: O que somos nós além das memórias que deixamos? “Eu sempre visitava Lita quando podia. Muito menos do que gostaria, é verdade, mas os compromissos do dia a dia nem sempre deixavam tempo livre para conversar com a senhora simpática. No entanto, quando o trabalho no escritório dava uma trégua e Rodrigo saía para jogar futebol com os amigos, eu pegava o carro até aquele bairro afastado da cidade e ia tomar limonada com Lita.”

Esse é um conto bem curtinho, por ter sido idealizado para o Brasil em Prosa, e bem escrito. A narrativa envolve o leitor em uma cena cotidiana e, quando vemos, já acabou! Gostei do final, que trouxe uma surpresa, ao mesmo tempo em que deixou pontas soltas a serem preenchidas pela imaginação do leitor.



***


No final, foi uma boa experiência: me diverti com as leituras. Se eu adicionaria o romance à minha zona de conforto? Dificilmente. Apesar de ter tido sorte com esses pequenos contos, não tive experiências boas com outros livros — mesmo que nestes o romance, embora presente, não fosse o foco. Mas certamente tentaria mais contos do gênero. Quem sabe um dia?

2 comentários :

  1. Poxa, no carnaval houveram tantas opções legais de maratonas que quase me arrependi de ter viajado e perdido tanto tempo hahahaha
    Acho que se eu fosse sair da minha zona de conforto também leria romance, pois é algo que realmente é muito difícil chamar minha atenção, mas preciso admitir que tenho um certo problema com contos (e até com livros muito curtos), pois a leitura sempre acaba rápido demais e fico com aquela sensação de que está faltando algo. :(

    Mago e Vidro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tisa, tudo bem?

      Eu recomendo muito as maratonas do Me Livrando, sempre há sorteios de livros de escritores nacionais no final. E sempre acontecem novas edições, não é só em feriados (embora a Marcelly sempre escolha finais de semana para quem estuda e trabalha).

      Sobre os contos, sou suspeita para falar, pois gosto muito, mas às vezes acabo sentindo que falta algo também. Mas, se você não está acostumada, sugiro que comece por novelas e contos mais longos, são poucos os escritores que conseguem marcar em um conto muito curto.

      Abraços e obrigada pela visita!

      Excluir

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...