28 de outubro de 2014

[Resenha] A Escolha

Título: Trilogia A Seleção #3 — A Escolha
Autor: Kiera Cass
Ano de publicação: 2014
Editora: Seguinte
Número de páginas: 352
Sinopse: A Seleção mudou a vida de trinta e cinco meninas para sempre. E agora, chegou a hora de uma ser escolhida. America nunca sonhou que iria encontrar-se em qualquer lugar perto da coroa ou do coração do Príncipe Maxon. Mas à medida que a competição se aproxima de seu final e as ameaças de fora das paredes do palácio se tornam mais perigosas, América percebe o quanto ela tem a perder e quanto ela terá que lutar para o futuro que ela quer. Desde a primeira página da seleção, este best-seller #1 do New York Times capturou os corações dos leitores e os levou em uma viagem cativante... Agora, em A Escolha, Kiera Cass oferece uma conclusão satisfatória e inesquecível, que vai manter os leitores suspirando sobre este eletrizante conto de fadas muito depois da última página ser virada.

Como dizem por aí, a esperança é a única que George R. R. Martin ainda não matou (mas esse ditado não era assim O.O).

Os livros da trilogia A Seleção são do tipo que se lê mais para descansar a mente e se divertir com uma história simples que para encontrar seu próximo livro favorito. Os dois primeiros volumes me prenderam à leitura e até mesmo me impressionaram quando ao conteúdo histórico, o que supriu minha decepção com outros livros YA do gênero (como Jogos Vorazes e Divergente, onde a história do mundo em que se passam sequer é citada). Assim, apesar do conteúdo distópico pouco explorado e das cenas de ação fracas, tinha esperanças de que neste último volume esses elementos fossem melhorar. Mas me decepcionei.

Atenção: esta resenha pode conter SPOILERS dos dois volumes anteriores, A Seleção e A Elite.

A história se inicia pouco depois do término de A Elite, em que America quase desistiu da Seleção após um desentendimento com o rei Clarkson. Com apenas seis meninas, a competição está chegando ao fim, o príncipe Maxon é pressionado a tomar sua decisão e os ataques rebeldes estão se tornando cada vez mais frequentes e perigosos. América, por sua vez, parece ter feito sua escolha, mas Maxon está mais distante e ela se vê duvidando do amor dele e tentando conquistá-lo.

A trama deste volume é a mais fraca de toda a trilogia. Diversos pontos que tinha considerado positivos em outros livros (como a exploração da história de Illea e dos personagens) sequer estiveram presentes neste volume. A autora focou no romance e somente nisto, deixando o resto a desejar.

Eu esperava muito mais desse livro; seu antecessor, A Elite, tinha dado a entender que a parte distópica seria melhor explorada, discorrendo sobre os rebeldes nortistas e sulistas e o sistema de castas. Diversas vezes é mencionado que os ataques rebeldes estão piorando, mas os ataques em si e as motivações (apesar de reveladas) não são devidamente abordadas. Como em seus predecessores, as cenas de ação foram pouco desenvolvidas e de rápida resolução, de modo que era absolutamente previsível que os personagens sairiam delas vivos e bem.

Outros pontos que me desagradaram na leitura foram a inconsistência na construção de personagens (houve casos de eles mudarem de atitude uma hora para outra, sem motivo aparente) e a irrelevância de determinados acontecimentos. Quase soou como se a autora estivesse com pressa demais para amarrar esses acontecimentos de maneira que realmente mudassem alguma coisa na história.

Ademais, há algumas mortes, mas a autora não soube abordar o luto de seus personagens e tampouco explorou as mortes em si (algumas foram desnecessárias e claramente usadas como artifício para angustiar o leitor ou criar uma reviravolta, mas outras foram importantes, porém sequer narradas devidamente).

O estilo de escrita é o mesmo dos livros anteriores: simples e fluída, e apesar de prender o leitor não suscita muitas emoções. Em nenhum momento senti que a autora foi capaz de transmitir as emoções dos personagens ou o clima de medo que supostamente paira sobre o palácio; ela se limita a mencioná-los, apenas. O leitor é rapidamente conduzido ao desfecho, que é ainda mais corrido que todo o restante do livro.

Como já mencionado, o final é repleto de mortes, algumas desnecessárias, outras necessárias porém apenas brevemente mencionadas. Algumas das questões (especialmente aquelas que diziam respeito aos rebeldes e ao sistema de castas) foram resolvidas de uma hora para outra, sem maiores explicações, de maneira que ficou até mesmo inverossímil (como um problema que perdurou por séculos pode ser resolvido de uma hora para outra com algumas simples ações?).

Em suma, A Escolha é um livro que promete, mas decepciona. Kiera Cass tinha uma ideia com muito potencial, mas que infelizmente não soube aproveitar. Decerto esta foi minha maior decepção literária de julho (tive três =/), e talvez dentre todos os livros que já li.


Outros livros da autora:
  • A Seleção (Trilogia A Seleção #1)
  • A Elite (Trilogia A Seleção #2)
  • Contos da Seleção: O Príncipe & O Guarda (Trilogia A Seleção #2,5)
  • The Queen (Trilogia A Seleção #0) (não publicado no Brasil)
  • The Siren (não publicado no Brasil)


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...