16 de setembro de 2014

[Resenha] Fragmentada

Título: Slated #2 – Fragmentada
Autor: Teri Terry
Ano de publicação: 2013
Editora: Farol Literário
Número de páginas: 422
Sinopse: Kyla não deveria se lembrar de nada quando foi reiniciada. Mas segredos do seu passado atormentam sua mente. Presa em uma luta contra a opressão dos lordeiros e ansiando por liberdade, Kyla vê seu passado e presente colidir de uma forma que ameaça sua vida. Enquanto sua busca desesperada por Ben continua, em quem ela poderá confiar em um mundo repleto de segredos e mentiras?
ATENÇÃO: Esta resenha pode conter SPOILERS de Reiniciados, primeiro volume da trilogia Slated.

Fragmentada começa exatamente no ponto em que Reiniciados termina: quando Kyla de algum modo se liberta de seu Nivo (aparelho que monitora os níveis de felicidade) e memórias de seu passado começam a vir à tona (embora devessem ter sido apagadas). Mas não todas as memórias vêm de uma vez: elas surgem em flashes, às vezes em sonhos, e são confusas. Kyla se lembra de ser Chuva, mas pouco sabe sobre Lucy, sua identidade original.

Enquanto procura desvendar o próprio passado, Kyla sofre pelo desaparecimento de Ben e se sente pressionada por Nico, seu professor de biologia que parece estar ali especialmente por causa dela. E Kyla deve decidir como se posicionar diante do que vem acontecendo, considerando seus atos do passado. Ademais, quer descobrir por que foi reiniciada — e como a intervenção deu errado.

Este livro, como seu antecessor, prendeu-me do começo ao fim. As lembranças de Kyla são reveladas aos poucos, contribuindo para o clima de mistério, e ela desvenda os acontecimentos passados e as atitudes das pessoas conforme essas lembranças vão reaparecendo. Aos poucos o leitor percebe que Kyla está se envolvendo com pessoas perigosas, e que fazer escolhas é muito importante.

A narrativa, como no volume anterior, é em primeira pessoa, leve mas ao mesmo tempo instigante. A autora transita de um acontecimento para o outro sem preencher o meio com minúcias e detalhes desnecessários. Não há descrições excessivas, porém, senti que em algumas cenas faltou um pouco de detalhamento.

A protagonista foi melhor explorada neste volume: diversos aspectos de seu passado foram revelados e todos eles com o propósito de explicar a trama do livro, especialmente o que tinha relação com sua reiniciação. Os personagens secundários, contudo, não são tão bem explorados; diversos deles me parecem importantes e têm seus próprios segredos a esconder, mas pouco sobre eles é revelado.

O final trouxe algumas reviravoltas e deixou um ar de expectativa para o próximo volume; este livro pareceu mais transitório entre o primeiro e o terceiro volumes, apesar de apresentar acontecimentos de suma importância para a trilogia como um todo. A trilogia Slated tem sido, até então, a melhor dentro do gênero de distopia Young Adult.


Outros livros de Teri Terry:
  • Slated #1: Reiniciados (resenha)
  • Slated #2: Fragmentada
  • Slated #3: Despedaçada

Um comentário :

  1. Oi, tudo bem? :)
    Não pude ler a resenha por conter spoilers do livro anterior, mas eu quero muito muito ler essa série e decide comentar hehehe
    Aproveito para dar uma notícia também. Este ano decidi organizar um amigo secreto literário no meu blog e adorava que participasses. É só ir ao blog e ver o mais recente post que lá está tudo explicadinho. Se não poderes participar podes pelo menos partilhar aqui no blog ou em alguma rede social? Seriam muito importante para mim *-*

    Beijo, Jessie
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...