16 de agosto de 2013

Meus Mundos: mais sobre Myhorr

Myhorr é um dos mundos mais explorados em A Batalha das Fraternidades, e neste mundo também se passa o conto A Perdição de Kenza e alguns capítulos do mini-livro A Pedra Dourada (primeiro volume da série Viviana). Além de possuir sua mitologia, também explorei sua história (especialmente em A Batalha das Fraternidades) e criei diversos países e mapas, pelos quais os personagens passam ao longo da história.

Leia também:



Os principais países explorados em A Batalha das Fraternidades são os países representados no mapa abaixo:

Mapa de Myhorr, desenhado por mim.

No primeiro volume de A Batalha das Fraternidades, Sophia e suas colegas visitam Dyaton, um dos reinos mais poderosos e influentes de Myhorr. Conhecem diversas cidades, com diferentes arquiteturas e culturas, uma vez que vários reinos menores foram conquistados para a formação do atual território de Dyaton.

Mapa de Dyaton, desenhado por mim.

Os demais países por que passam são Matrixion (um reino arcaico com um longo histórico de guerras e conquistas), Krikah, Myhtrz e também Veraff, que não está representado no mapa. Veraff também será explorado no mini-livro A Pedra Dourada.

Myhorr é um mundo antigo que possui mais de dez mil anos de história (no primeiro volume de A Batalha das Fraternidades, estão no ano de 10401, uma vez que, ao contrário do que é feito no nosso mundo, os anos são contados desde o início). Contudo, estão tão adiantados tecnologicamente quanto nós (para se ter uma ideia, o ano de 10401, em Myhorr, equivaleria, aproximadamente, ao nosso ano 2001).

Neste mundo também é mais comum que as pessoas transitem entre universos e submundos (lá, a religião sempre esteve ligada à magia e a aceita, por isso, os bruxos não precisam se esconder), assim, há em cada cidade uma torre cilíndrica de pedra clara, com aproximadamente vinte metros de altura, que possui quatro entradas em arco e quatro janelas no topo. Esta torre é circundada por um jardim ou uma praça, e é chamada de Er Tahky, que em uma língua de Myhorr muito antiga e que já caiu em desuso significa “a torre”. Gravado no piso dessa torre existe o símbolo dhe yomahd (que naquele mesmo idioma significa “a passagem”), utilizado para transitar entre as três principais dimensões (Universo da Magia, das Possibilidades e Simples).

Os termos Er Tahky e dhe yomahd serão melhor explorados em outra oportunidade, assim como a própria transição entre dimensões e submundos.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Sinta-se à vontade para deixar opiniões, dúvidas e sugestões. Se tiver um blog, deixe o link ao final de seu comentário para que eu possa visitá-lo.

Ao comentar, tenha bom senso (ou leia isto), de modo a evitar que seu comentário não seja publicado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...